Criação da Associação Academia Alto da Colina e objectivos

A Associação Academia Alto da Colina, surge na necessidade de dar uma metodologia de treino aos jovens que aos poucos se iam inscrever nesta jovem ACADEMIA. Alguns dos quais tinham treinado noutros clubes e não gostaram dos métodos de treino. Inicialmente eram cerca de vinte atletas com idades compreendia dos 5 aos 14 anos, e no final da época o número permitia a realização de jogos amigáveis em dois escalões. A qualidade do trabalho foi sendo reconhecida pelos pais e através dos pais a mensagem foi transmitida aos amigos e conhecidos.

Em virtude do número de atletas ser maior os pais solicitaram que a Academia de Futebol Alto da Colina, participassem nos campeonatos distritais. Esse desejo concretizou-se em Julho de 2008 e assim foram inscritas duas equipas federadas. Neste momento estão inscritas, quatro equipas a participar nos campeonatos distritais e há duas equipas não federadas. Este crescimento sustentado foi dando resultados e os treinadores conseguiram trasmitir a sua experiencia e evoluir os seus “pupilos”.

Neste momento a Academia de Futebol Alto da Colina é considerada uma das melhores escolas de formação do Algarve.
Pelo seu dinamismo, dedicação e contratação de técnicos qualificados as nossas crianças tem evoluído e tem conseguido resultados individuais e colectivos muito interessantes.

Se gosta que a sua criança tenha uma boa formação desportiva, venha fazer uma visita e faça uma experiencia connosco!
A evolução da sociedade actual junto das grandes cidades contribui para uma urbanização desmedida das mesmas, com o aproveitamento dos espaços existentes para fins habitacionais ou comerciais, originando o quase total desaparecimento de espaços livres onde as crianças e os jovens possam desenvolver as suas actividades de lazer.
Com base nesta realidade da sociedade actual, existe a necessidade de criar nas crianças e jovens hábitos de uma ocupação saudável dos seus tempos livres, através do exercício físico e de actividades ao ar livre onde impere a amizade e o convívio social.

A Academia de Futebol Alto da Colina tem como objectivo principal contribuir para a criação de um espaço de lazer e ocupação dos tempos livres das crianças e jovens do Algarve, especializando-se no ensino e na prática de futebol.
Desta forma, é possibilitado o acesso à prática de futebol a todas as crianças e jovens dos 4 aos 14 anos de idade, de ambos os sexos, independentemente das suas capacidades. Na Academia Futebol Alto da Colina é trabalhada essencialmente a formação dos alunos, proporcionando o ensino e a prática de futebol através das acções técnico - pedagógicas mais indicadas, permitindo às crianças e jovens familiarizarem-se com o mundo mais puro do futebol.

A formação de jovens futebolistas é uma actividade pedagógica que exige dos educadores uma qualificação adequada e um elevado sentido de responsabilidade com os praticantes de futebol, devendo ser visado o desenvolvimento das capacidades específicas (físicas, táctico - técnicas e psíquicas) do futebol, bem como a criação de hábitos desportivos e a aquisição de um conjunto de valores como a responsabilidade e a cooperação.
Na Academia de Futebol Alto da Colina, o educador/treinador não é o ex-praticante ou praticante em final de carreira, que sem formação específica, é convidado para treinar os jovens, limitando-se a aplicar a sua experiência de antigo jogador.

Na nossa perspectiva, o educador/treinador deverá reunir um conjunto de competências nos domínios do saber, saber fazer e saber fazer com que outros façam:

  • - Conhecer bem os jovens que treinam, bem como as características das suas diferentes fases de desenvolvimento.
  • - Contribuir para o desenvolvimento das capacidades específicas (físicas, táctico - técnicas e psíquicas) do futebol, de acordo com as capacidades e as necessidades dos jovens.
  • - Contribuir para uma formação geral e integral do cidadão comum.
  • - Promover o gosto e o hábito pela prática desportiva, proporcionando prazer e alegria nos jovens praticantes.
    Dirigir as expectativas dos jovens e dos seus familiares de uma forma real.
  • - Dirigir as suas acções, valorizando fundamentalmente o esforço e o progresso na aprendizagem, colocando em primeiro lugar os interesses dos jovens e só depois as vitórias da equipa.

Uma das características dos bons treinadores é o desejo e a capacidade permanente de se actualizarem, de saber sempre mais, o que passa por uma formação contínua através da participação em debates e colóquios de treinadores, da leitura de revistas da especialidade, da observação e na troca de experiências de métodos de treino.
Em todas as nossas actividades é cultivada a personalidade e carácter dos alunos, disciplinando os jovens na aplicação dos conhecimentos adquiridos com precisão e rigor.


Microciclos

Nas equipas são trabalhadas todas as componentes importantes no treino, de acordo com os seguintes micro ciclos:

Microciclo I
Penetração/Contenção+ Concentração+ Desmarcação de progressão+ Circulação Táctica Ofensiva+ Flexibilidade

Microciclo II
Condução de bola+ Combinações Tácticas Simples+ Combinações Tácticas Indirectas+ Coordenação Motora+ Cortinas/Ecrãs+ Circulação Táctica Ofensiva+ Flexibilidade

Microciclo III
Deslocamentos defensivos + Contenção + Dobra + Flexibilidade

Microciclo IV
Contenção + Marcação + Temporização defensiva + Esquema táctico ofensiva – pontapé de livre indirecto+ Marcação de Grandes Penalidades+ Flexibilidade

Microciclo V
Coordenação Motora + Contenção+ Marcação + Recuperação Defensiva+ Flexibilidade

Microciclo VI
Recuperação Defensiva + Esquemas Tácticos Defensivos – Pontapés de canto + Flexibilidade

Microciclo VII
Marcação individual + Recuperação Defensiva + Esquema táctico defensivo – pontapé de canto+ Flexibilidade

Microciclo VIII
Remate + Esquema táctico ofensivo – Lançamento de linha lateral + Esquema táctico defensivo – Pontapé de livre indirecto + Circulação Táctica Ofensiva+ Flexibilidade

Microciclo IX
Marcação + Desdobramentos + Circulação Táctica Defensiva + Flexibilidade

Microciclo X
Contenção + Concentração + Passe + Desmarcação de progressão + Esquemas Tácticos defensivos – Pontapés de canto + Esquemas Tácticos defensivos – Pontapés de Livre indirecto + Circulação Táctica Defensiva+ Flexibilidade

Microciclo XI
Contenção+ Desmarcação de progressão + Esquemas Tácticos Ofensivos – Pontapés de livre indirecto + Circulação Táctica Defensiva+ Esquemas Tácticos Ofensivos – Pontapé de baliza + Flexibilidade

Microciclo XII
Esquemas Tácticos Ofensivos – Pontapé de Baliza + Transição Defesa - Ataque + Flexibilidade

Microciclo XIII
Combinações Tácticas Indirectas + Transição Defesa - Ataque + Flexibilidade

Microciclo XIV
Passe + Intervenção do GR (com os pés) + Coordenação Motora + Transição Defesa - Ataque + Flexibilidade

Microciclo XV
Cabeceamento + Passe longo + Contra-ataque + Flexibilidade

Microciclo XVI
Passe+ Ocupação Racional do terreno de jogo+ Flexibilidade


Etapas do Ensino

Para que os jovens possam ter êxito no futuro, é fundamental que a sua formação se inicie pela base, devendo os alunos passar por um processo de formação coerente, com uma progressão da aprendizagem distribuída por diferentes etapas, com objectivos, estratégias e conteúdos adequados às diferentes fases de desenvolvimento.

1ª Etapa - relação do jogador com a bola
Domínio da bola e equilíbrio do corpo
Encadeamento das acções técnicas: controlo, condução e remate
Desenvolvimento do passe e da recepção
Iniciação às noções de ataque e defesa

2ª Etapa - relação do jogador com a bola e com a baliza
O remate de precisão
Encadeamento de acções finalizando com remate à baliza
Finalização e defesa da baliza
Finalização eficaz das acções de jogo e construção da noção da defesa da baliza

3ª Etapa - relação do jogador com a bola, com a baliza e com o adversário
Princípio de ataque - penetração e princípio da defesa - contenção
Recuperação e manutenção da posse de bola
Marcação individual nominal e não nominal

4ª Etapa - relação do jogador com a bola, com a baliza, com o companheiro e com o adversário
Jogar com os companheiros progredindo no terreno
Criar o hábito de se deslocar e de estar constantemente em movimento para passar e receber a bola
Princípios do ataque - penetração e cobertura ofensiva
Princípios da defesa - contenção e cobertura defensiva
Desmarcação e defesa individual - zonal

5ª Etapa - relação do jogador com a bola, com a baliza, com os companheiros e com os adversários
Encadeamento das acções técnicas: passe longo, cruzamento aéreo e finalização de cabeça
Princípios do ataque - mobilidade e espaço
Princípios da defesa - Equilíbrio e concentração
Jogar com os companheiros progredindo no terreno
Marcação individual nominal
Ocupação racional do espaço de jogo

6ª Etapa - relação do jogador com a bola, com a baliza, com os adversários e com a equipa
Circulação da bola
Manutenção e recuperação da posse da bola
Aperfeiçoamento do jogo pelos corredores laterais
Equipa como bloco dinâmico utilizando o sistema táctico 1:3:2:1
Método de jogo ofensivo utilizando o sistema táctico 1:3:1:2

Acções tácticas - técnicas desenvolvidas
As conjuntas das acções individuais e colectivas encontram-se devidamente organizadas, de forma a preparar convenientemente os nossos alunos, envolvendo as seguintes componentes:

  • Princípios do Ataque Penetração (1º atacante)
  • Cobertura Ofensiva/Apoio (2º atacante)
  • Mobilidade (3º atacante)
  • Espaço (Estrutura da equipa)
  • Princípios da Defesa
  • Contenção (1º defesa)
  • Cobertura defensiva (2º defesa)
  • Equilíbrio (3º defesa)
  • Concentração (Estrutura da equipa)
  • Tácticas Individuais Ofensivas
  • A recepção e o controlo de bola
  • A condução da bola
  • O passe
  • O remate
  • Tácticas Colectivas Ofensivas
  • Desmarcação de ruptura
  • Desmarcação de apoio
  • Desmarcação mista
  • Desmarcação com trajectória circular
  • Tabelinha
  • Tácticas Individuais Defensivas
  • Desarme
  • Intercepção
  • O guarda-redes e a defesa da baliza
  • Tácticas Colectivas Defensivas
  • Marcação à zona
  • Marcação individual
  • Marcação mista
  • Dobra
  • Compensação

Regras do Futebol 7

Regra I (Campo de Jogos):
O TERRENO DE JOGO terá de ser rectangular e ter o comprimento máximo de 60 metros e mínimo de 45 e largura máxima de 45 e mínima de 25 metros. A LINHA DE MEIO-CAMPO, que é facultativa será marcada com uma marca visível, à volta da qual se traça um círculo com 3 metros de raio. No entanto o centro do terreno de jogo, terá de estar marcado. ÁREA DE GRANDE PENALIDADE (ÁREA DE BALIZA) será definida por um rectângulo com 6 x 15 metros. Estas marcações poderão ser feitas por fitas amovíveis de uma cor visível. MARCA DE GRANDE PENALIDADE será marcada a 6 metros da linha de baliza e deverá estar bem assinalada.

Regra II (A Bola):
Nos jogos de futebol de 7 é obrigatória a utilização de bolas de futebol n.º 4, cujo perímetro pode variar entre os 62 e 66 cm e o peso entre 340 e 390 gramas.

Regra III (O Número de Jogadores):
Cada equipa, em cada jogo, pode apresentar 12 elementos no máximo. O jogo será disputado por duas equipas constituídas por 7 elementos em campo, sendo um deles, o Guarda-Redes. Após o início do jogo e em caso de lesão de algum elemento, desde que a equipa não possua suplentes, o jogo poderá prosseguir com um mínimo de 6 (seis) elementos em campo. As SUBSTITUIÇÕES são ilimitadas podendo o mesmo jogador sair e entrar novamente em jogo, sendo que os substitutos só poderão entrar pela "linha de meio campo". Podem ocorrer em qualquer momento excepto a do Guarda-Redes que deve ser efectuada durante uma paragem de jogo e com o conhecimento do Árbitro. O CAPITÃO DE EQUIPA é obrigatório, não podendo o jogo iniciar-se ou prosseguir sem que em cada equipa a capitania esteja entregue a um jogador que se encontre no campo ou no banco dos suplentes.

Regra IV (Equipamento):
É obrigatório o uso de camisola de cor semelhante para todos os jogadores de cada equipa, com excepção do Guarda-Redes que deve utilizar um equipamento que o distinga dos seus companheiros de equipa e adversários. Na eventualidade de não haver equipamento de cor semelhante, poder-se-á recorrer à utilização de coletes, que também poderão ser usados quando se verificar semelhança de equipamentos, estes deverão ser preferencialmente numerados. Anéis, pulseiras, fios ou quaisquer outros objectos semelhantes, capazes de oferecer perigo, não deverão ser permitidos.

Regra V (O Árbitro):
Para cada jogo será designado um árbitro, que será o responsável pela direcção do jogo.

Regra VI (Duração do Jogo):
O jogo comportará duas partes com a seguinte duração: 25 minutos cada parte com intervalo de 10 minutos.

Regra VII (O Início do Jogo):
Antes do início do jogo, o árbitro terá de proceder a um sorteio, para a escolha de campo ou de pontapé de saída, que terá lugar no centro do terreno. Após o apito do árbitro (a bola deverá ser tocada na direcção do terreno adversário). O reinício do jogo após o intervalo ou obtenção de um golo, é efectuado no centro do terreno conforme procedimento anterior, sendo a bola pertença da equipa contrária que beneficiou do pontapé de saída, ou em caso de golo da equipa que sofreu o golo.
Quando o jogo tenha sido suspenso temporariamente sem que houvesse infracção às regras, o árbitro recomeça-o por um "lançamento de bola ao solo", entre dois jogadores (um de cada equipa) que será feito no local onde se encontrava a bola no momento da interrupção.

Regra VIII (Bola em Jogo e Bola Fora):
A bola está fora, quando transpuser completamente (pelo ar ou pelo solo) as linhas laterais ou de baliza. A bola está em jogo, em qualquer outra situação, durante o decorrer do jogo.

Regra IX (Reposição de Bola em Jogo):
LANÇAMENTO DE LINHA LATERAL, será efectuado após a bola ultrapassar completamente as linhas laterais, sendo executado por um elemento contrário ao da equipa em que a bola tocou antes de sair do terreno. Será permitido uma repetição, pelo mesmo jogador, no caso de um lançamento ser mal executado. PONTAPÉ DE BALIZA, será efectuado após a bola sair pela linha de fundo e o último jogador a tocar-lhe, pertencer à equipa que atacou... A reposição da bola em jogo será efectuada através de um pontapé a partir do interior da área de baliza. A bola está em jogo quando ultrapassar a linha de área da baliza.
PONTAPÉ DE CANTO será efectuado após a bola sair pela linha de fundo e o último jogador a tocar-lhe pertencer à equipa que defende.
Os jogadores adversários da equipa que executa o pontapé de canto não podem aproximar-se da bola a menos de 3 metros.

Regra X (Marcação de Golos):
Considera-se golo, sempre que a bola, tocada por qualquer jogador e em obediência às regras de jogo, ultrapassar totalmente (pelo solo ou pelo ar), a linha de baliza.
Não serão considerados golos conseguidos directamente de pontapé de saída, pontapé de baliza, lançamento da bola pela linha lateral e marcação de livre indirecto.

Regra XI (Faltas e Incorrecções):
Deverão ser marcadas faltas – pontapés livres – contra a equipa do jogador que em qualquer circunstância tocar a bola com as mãos, ou agarrar, empurrar, pontapear ou desrespeitar qualquer dos elementos ligados ao jogo.
A falta será marcada onde o lance se tenha verificado, excepto se tal acontecer dentro da área. Neste caso será marcada uma grande penalidade. Os jogadores adversários da equipa que executa o pontapé livre não podem aproximar-se da bola a menos de 3 metros.
Cada vez que um jogador passar com o pé, deliberadamente a bola em direcção ao guarda-redes da sua equipa, este último não está autorizado a tocá-la com as mãos. Assim, se o guarda-redes tocar a bola com as mãos, será concedido um pontapé livre indirecto à equipa contrária no local onde a falta foi cometida, sob reserva das condições impostas na Lei XIII de futebol de 11.

O FORA DE JOGO não se aplica no futebol de 7 no escalão de escolas, aplicando-se no escalão de Infantis a partir da linha da área.


Sala de Troféus

Época 2009-2010

  • Campeão de Escolas B série B em Escolas B, atletas nascidos em 2000.
  • Campeão da Liga Algarve em pré-escolas, atletas nascidos em 2002.
  • Campeão do Campeonato de Golfinhos, atletas nascidos em 2002.
  • 8º Classificado no Mundialito de Clubes, realizado em Vila Real Santo António. Derrotado pelo Valência (Espanha).
  • Vencedor do Torneio 25 de Abril em Olhão, organizado pelo Marítimo Olhanense.
  • 3º Lugar no Campeonato Distrital em Infantis, serie B.

Época 2008-2009

  • Campeão do Campeonato de Golfinhos, atletas nascidos em 2001.
  • Campeão do Campeonato de Golfinhos, atletas nascidos em 2002.
  • Vice - campeão no Mundialito de Clubes, em Vila Real Santo António com a equipa de 2001.
  • 8º Lugar no Campeonato Distrital de Escolas B, série B.
  • 4º Lugar no Campeonato Distrital de Infantis, série B.
  • Vencedor do Torneio 25 de Abril em Olhão, organizado pelo Marítimo Olhanense.

Época 2007-2008

  • Campeão do Campeonato de Golfinhos, atletas nascidos em 2000.
  • Vice -Campeão do Campeonato de Golfinhos, atletas nascidos em 2002.

Apoios e Patrocínios